quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

FELIZ 2010!

Os meus Votos de UMA BOA E FELIZ ENTRADA em 2010 são dados com um texto da Conceição Coelho que de quando em vez colabora neste blogue, ao som (Paulo e Marga, podem ver que aprendi depressa... tudo é fácil quando as indicações são claras) dos Kool and The Gang, escolha musical da minha Émy.

Divirtam-se e "façam o favor de ser felizes", esta noite e durante todo o ano. Sejam felizes e façam os outros felizes!





Estamos no último dia do ano de 2009...
E depois da meia-noite, virá o Ano Novo...
O engraçado é que - teoricamente - continua tudo igual...
A diferença, a subtil diferença, é que quando o relógio nos avisar que é meia-noite, teremos um ano in-tei-ri-nho pela frente!
Um ano novinho em folha!
Como uma página de papel em branco, esperando pelo que iremos escrever.
Um ano para começarmos o que ainda não tivemos força de vontade de realizar,
coragem ou fé...
Um ano para perdoarmos um erro, um ano para sermos perdoados dos nossos...
365 dias para fazermos aquilo que quisermos...
Ou para deixarmos que façam o que quiserem conosco...
Sempre há uma escolha...
E, exatamente por isso, eu desejo que os meus amigos façam as melhores
escolhas que puderem.

Desejo que sorriam o máximo que puderem.
Cantem aquilo que quiserem.
Beijem muito.
Amem mais.
Abracem bem apertado.


Durmam com os anjos.
Sejam protegidos por eles.
Agradeçam por estarem vivos e terem sempre mais uma chance para
recomeçar. Agradeçam as suas escolhas, pois certas ou não, elas são suas.
E ninguém pode ou deve questioná-las.

E eu gostaria de agradecer aos amigos que tenho.
Aos que me "acompanham" desde muito tempo.
Aos que eu fiz este ano.
Aos que moram longe e não vejo tanto quanto gostaria.
Aos que moram perto e eu vejo sempre.
Aos que me "seguram", quando penso que vou cair.
Aos que eu dou a mão, quando me pedem ou quando me parecem um pouco perdidos.
Aos que me parecem anjos, mas estão aqui e me dão a certeza de que
existe algo de divino neste mundo.
Porque ninguém seria um anjo na vida de outra pessoa, se não tivesse
uma centelha divina dentro de si.

Obrigada por fazerem parte da minha história!

domingo, 27 de dezembro de 2009

BELO CREDO PEDAGÓGICO!

Um texto que aqui já fiz referência, e que o JMA já denominou como um "Belo Credo Pedagógico", e que volto a trazê-lo a pedido do Carlos Soares.



Não é à pancada,
Estou convencido que não é à pancada.
E embora haja quem pense
Que dar confiança é arriscado
Eu creio que o único caminho é o amor.

Não me preocupam nada temores do género:
“- e lhes damos uma mão querem logo o braço”.
“- Comem-nos as papas na cabeça”.
“- Pela caridade entrou a peste no mundo…”


Não me preocupam, primeiro,
Porque não é a dignidade do professor
O supremo valor da escala educativa.
Não me preocupam, depois,
Porque o que interessa,
Mais do que as manifestações exteriores de respeito,
É o verdadeiro respeito interior.
Não me preocupam, finalmente,
Porque creio que é mais efectivo,
Muito mais educativo e mais belo,
Ver como as pessoas
Aprendem a amar e a confiar nas pessoas,
Ver como aprendem a ser mais felizes.


Não temo que me comam as papas na cabeça,
Que abusem da minha confiança.
Porque é preferível rirem-se
(se for esse o caso)
Do que serem vítimas da nossa insensibilidade,
Do nosso rigor
Da nossa amizade.
Porque a fortaleza está no amor
E não na imposição da disciplina.


Não nos tornamos mais fortes por mantermos a ordem,
Por as crianças “se não mexerem”,
Por se saber perfeitamente quem detém a autoridade.


Seremos fortes se não nos preocupamos em sê-lo,
Se verdadeiramente amamos os outros,
Se fizermos nascer no seu íntimo
O desejo de serem melhores,
De serem solidários e respeitadores,
De serem amantes da justiça
E da ordem que nasce da justiça e não da força,
E não do temor,
E não da violência.
Só neste clima
É que as pessoas aprendem a ser livres
A ser melhores.


Santos Guerra
in Uma pedagogia da libertação
CRIAPASA

sábado, 26 de dezembro de 2009

POR CAUSA DE UM DESAFIO DE NATAL!

O desafio começou algures. Foi andando por várias "casas". Procurei seguir o rasto das respostas que foram sendo dadas. Perdi o rasto de algumas e por isso não as li todas, nem tal seria possível. Foram muitas as que me encheram as medidas mas uma houve que, pelo menos para mim, pela sua originalidade, força, ou talvez porque com ela me identifiquei bastante, tem o meu aplauso maior e a coloco aqui para que fique no meu "cantinho". Do Existente Instante, aqui fica:


No Natal e Fora dele...



Vou sabendo aceitar a visitação silenciosa da ternura. Instala-se.Nada diz. Acabo por a perceber perfeitamente. Eu já...

Rejeito a frágil folha rosto de lágrima percorrida. O meu olhar não tem pressa. Eu não...


Que este rumor interior de beleza comovida regressa sempre ao lugar de partida. Eu sei...


Como barco em horizonte distante, acenar recolhido até que. Eu quero...


Continuar a entregar-me despudoradamente ao Instante que Existe no passado - presente, nesta força imorredoira de merecer-me de Vida merecida. Eu sonho...

ADENDA: 12:55: Há um outro poste-resposta de Paulo Lopes a este desafio que não queria deixar de aqui referir, ainda que em adenda, pela sua beleza, pelas fotos (acréscimo ao desafio a meu pedido) e por algumas reflexões (algumas polémicas) nele contidas.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

A CAMINHO DO NATAL!

FELIZ NATAL
E
PRÓSPERO ANO 2010


é o meu desejo, ao som de uma das minhas canções preferidas.


segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

OLHARES!

Por causa do poste anterior procurei um poema de Lopes Morgado que aqui vos deixo:



ÊXTASE

- Não vês o céu, como está lindo?
- Vejo.


- Não vês o sol, como ele brilha?
- Vejo.


- Não vês os campos, tão floridos?
- Vejo.


- Mas para onde é que estás a olhar?
- Para ti, Mãe.



Lopes Morgado
in Mulher Mãe

domingo, 20 de dezembro de 2009

PORQUE HOJE É DOMINGO!

"OLHARES"

Qual é o olhar mais bonito do mundo?

A poucos dias do Natal, hoje, 4º Domingo do Advento, o Padre Marçal, na Celebração da Eucaristia, resolveu homenagear com uma flor as mulheres grávidas que estavam na celebração, e foram sete, num gesto de antecipação do dia da Maternidade por excelência que é o dia de Natal e colocou, durante a homilia, esta simples mas inspirada canção do padre Zézinho, numa homenagem às mulheres grávidas, e que aqui partilho convosco e no qual podem descobrir qual é o olhar mais bonito do mundo.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

A CAMINHO DO NATAL (VII)

SEGUES ALGUMA ESTRELA? PORQUÊ?



O poeta e dramaturgo inglês W.H. Anden, numa “Oratória de Natal” explica porque os Magos seguiram a estrela: “O primeiro diz: Devo descobrir como ser verdadeiro hoje: eis porque eu segui a estrela. O segundo diz, por sua vez: Quero descobrir como viver hoje: eis porque eu segui a estrela. Por fim, o terceiro afirma: necessito descobrir como amar hoje: eis porque eu segui a estrela. E, depois, dizem todos juntos: devemos descobrir como ser homens hoje: eis porque nós seguimos a estrela”!

E nós, porque a seguimos?

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

A CAMINHO DO NATAL! (VI)

ACENDE UMA VELA!
A Festa da nossa Comunidade Educativa foi na passada sexta-feira. Bonita, por sinal. O registo que tenho da festa está fraquíssimo. O trabalho de luzes não beneficiou a captação de imagens. Não queria, no entanto, deixar de partilhar convosco um pedacinho da nossa festa. Um dos seus momentos altos, a participação do Gil e dos pais numa belíssima canção. Aqui fica:

A CAMINHO DO NATAL (V)


Um Conto de Natal via Clube de Contadores de Histórias.


A Batalha de Natal


— Só mais seis dias — disse Neli.
Enquanto a filha tentava assobiar Noite Feliz, a mãe repetiu, pensativa, numa voz que não soava alegre:
— Ainda seis dias.
Após uma curta pausa, prosseguiu, suspirando:
— Se tudo já tivesse passado!
Com o assobio suspenso no ar, Neli olhou para a mãe com ar estupefacto:
— Não estás contente?
— Claro que sim, mas já estou pelos cabelos com esta agitação toda!

(Continuação da história aqui)


imagem: http://www.vladstudio.com/


domingo, 13 de dezembro de 2009

NA ROTA DOS BLOGUES AMIGOS!

PELA NOSSA CASA, TUDO!
GESTOS QUE PODEM FAZER A DIFERENÇA.

A Cascais Natura propõe, para este Natal, a oferta de uma árvore, ou melhor, a dedicação simbólica de uma árvore a um amigo, a um filho, ao marido, à namorada, à tia, ao primo, etc... Uma interessante proposta para este Natal partilhada pela Margarida de "A Sombra do Vento" (onde podem encontrar mais informação).

E, como diz a Margarida, "um bonito gesto, que irá tornar o nosso planeta melhor." Eu vou aderir e convido-vos a fazer o mesmo.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

NO COMMENT!

Uma cerimónia polémica a da entrega do Nobel da Paz ao presidente dos EUA, Barack Obama. Boa parte do discurso de aceitação do prémio, em Oslo, foi justificar a necessidade de "guerras justas", como a que decorre no Afeganistão.

Barack Obama explicou aos 900 convidados presentes na sala nobre da Câmara de Oslo que por vezes 'a guerra é necessária':

'Haverá sempre momentos em que as nações considerarão o uso da força não só necessário como moralmente justificável', afirmou, e lembrou a altura em que o mundo uniu forças para derrotar Hitler. 'Enfrento o mundo tal como é, e não posso ficar de braços cruzados perante ameaças ao povo americano.'

Ver vídeo e notícia completa aqui.

PELA NOSSA "CASA", TUDO! (III)

AMAZÓNIA,
UM TESOURO DA HUMANIDADE.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

PELOS DIREITOS HUMANOS, SEMPRE!

São imensos os vídeos e os textos que falam dos direitos humanos. Ainda bem! Deve ser sempre uma preocupação que nos move.
Hoje, porém, apenas deixo esta foto do PL, com o desejo de que não deixemos apagar a luz que nos orienta na procura de Um Mundo Melhor, em que os Direitos Humanos serão uma realidade tão natural e vivida, que já não seja necessário falar deles.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

A CAMINHO DO NATAL! (IV): DESAFIO

DESAFIO:
UM POUCO DO MEU NATAL
EM 5 REVELAÇÕES...




A Isabel do SLETRAS, desafiada pela "Teresa de Longe", também me lançou o desafio que consiste em revelar um pouco de nós, em época natalícia, completando as frases que foram propostas. Aqui ficam as minhas respostas e, seguindo as regras, no fim,apresento os CINCO blogues a que bato a porta para responderem ao desafio.

As minhas respostas:


1. Eu já... vivi um Natal longe da Família. O Natal de 83. Loja (Granada - Espanha). Longe do aconchego e mimos natalícios da família. Foi diferente. Tradições e sabores diferentes. E a lágrima não deixou de aparecer no canto do olho


2. Eu nunca... deixarei de me encantar com a magia do Natal que, para mim, começa a 8 de Dezembro com o montar do Presépio e da Árvore de Natal com a ajuda de todos cá em casa.


3. Eu sei... que Natal não é só em Dezembro, é sempre que quisermos; é sempre que um gesto nosso, uma palavra, uma atitude, se transforma numa mão que ajuda ou torna mais feliz quem vem ao nosso encontro.


4. Eu quero... neste Natal, lembrar-me e falar com familiares e amigos com quem ultimamente tenho andado um pouco distante.

5. Eu sonho... que os homens serão capazes de lutar e construir, com todas as suas forças e empenho, um MUNDO MELHOR.


Bato à porta dos seguintes blogues para também os desafiar a falarem um pouco do Natal. Os blogues são:


A PHOTO A DAY

(desafio o PL a acrescentar uma foto a cada resposta)

ANABELA MAGALHÃES

MEMÓRIA SOLTAS DE PROF

PIRUETAS DE AVÓ

Os blogues escolhidos são convidados a desafiarem outros 5 blogues para o desafio.

ADENDA a 13-12-2009: Fujo ao estabelecido e desafio outro blogue:

A SOMBRA DO VENTO

PELA NOSSA "CASA", TUDO! (II)

Uma "dica" da REGAÇO CAT que vem bem a propósito do meu "poste" anterior: “A Hard Rain’s A Gonna Fall”, do mítico Bob Dylan, foi adoptada pela ONU como hino não oficial da cimeira. Aqui fica:


"Se, em 1962, o contexto em Dylan lança esta canção, era a ameaça nuclear no auge da Guerra Fria. Hoje, a ameaça é ambiental e a canção consegue adaptar-se e soar como um alerta: “I've stepped in the middle of seven sad forests; I've been out in front of a dozen dead oceans; I heard the roar of a wave that could drown the whole world” (“Eu andei no meio de sete florestas mortas; Eu estive em frente a uma dúzia de oceanos mortos; Eu ouvi o rugido de uma onda que poderia afogar o mundo inteiro”)." Vide Ionline

Adenda via REGATO CAT: A letra da canção encontra-se aqui.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

PELA NOSSA "CASA", TUDO!

Fazemos votos que a Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, que começa hoje e se prolonga até 18 de Dezembro na capital dinamarquesa, e que tem como principal objectivo da celebração de um acordo internacional global que permita reduzir as emissões nos países desenvolvidos, limitar o aumento das emissões nos países em desenvolvimento e financiar as acções destinadas a mitigar os efeitos das alterações climáticas e os esforços de adaptação desenvolvidos pelos países pobres, consiga atingir os seus objectivos.


Fica aqui o "trailer" de "HOME" retirado do "YOU" (onde podem ser vistos muitas partes do mesmo):

domingo, 6 de dezembro de 2009

A CAMINHO DO NATAL (III)

Um bonito "postal-reflexão" de Natal que me foi enviado pela Paula Cristina:

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

A CAMINHO DO NATAL (II)

Carta aberta às crianças da Missão da Huíla


Os professores do CIC foram convidados a escrever um postal de Natal às crianças da Huíla (Angola) onde alguns leigos e padres cleretianos vão fazer uma Semana Missionária. A professora Conceição Coelho, que já colaborou várias vezes com este blogue, quis partilhar connosco o "postal" que escreveu. Aqui fica:


Na Europa… como em África…


Em Portugal… como em Angola…

Aqui… como aí….

…o Natal chega, inevitavelmente em Dezembro e, sem pedir licença, devagarinho e sem darmos conta, entra no lar de cada um de nós.

Umas vezes, estamos preparados, outras nem tanto…o certo é que, nesta época do ano, mais do que em qualquer outra, todos corremos atrás do mesmo: a prenda que alguém pediu, os enfeites para a Árvore de Natal, as figuras para o Presépio… o melhor dos arranjos para a porta da casa, convidando a entrar….


…até nos esquecemos de preparar a decoração dos nossos corações!!!


Felizmente, alguém me lembrou!!!

Deliciei-me com os dois postais que me vieram parar às mãos!

Que casa tão acolhedora… que melhores enfeites poderiam ter escolhido para me convidar a participar no vosso Natal, entrando nos vossos corações através dos sorrisos lindos que encontrei em quatro carinhas que, de repente, me ajudaram a repensar os presentes para esta quadra.

Obrigada pela mensagem que a vossa foto trouxe aqui, ao Colégio dos Carvalhos, onde trabalho e onde dedico cinco dias da semana a meninos e meninas da vossa idade.
A vossa mensagem de paz, alegria, união e cumplicidade que nos ajudou a abrir a porta dos nossos corações aos sorrisos de quem nos rodeia, à partilha de emoções de quem nos procura… enfim, à entreajuda e à Solidariedade que pode «mover montanhas» se, juntos, nos dispusermos a isso.
Com a ajuda dos meninos de cá… dos meninos daí e dos meninos de tudo o mundo, estou certa de que encontraremos a fórmula para JUNTOS, construirmos um MUNDO MELHOR.

Votos de FELIZ NATAL


Conceição Coelho
CIC Natal 2009

PENSAMENTO!


"O que eu grito me liberta;
o que eu calo me tortura"
Pe. Zézinho

PARA ÉMY... EM DIA DE ANIVERSÁRIO.

A música que o teu telemóvel toca quando te ligo. Ao som dela, o meu grande beijinho de parabéns e que continues acordar ao meu lado, por muitos anos ainda, mesmo que te deites, de quando em vez, com os cabelos em pé por minha causa.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

GESTOS QUE FAZEM A DIFERENÇA!

O "post" que se segue retirei-o do facebook da Émy, uma fã de Bono e dos U2.

BONO: MÚSICO... FILANTROPO E ACTIVISTA

Hoje, dia Mundial da luta contra a Sida, gostaria de partilhar esta mensagem de Bono Vox, dos U2 que, para além de ser um músico que muito admiro, é, acima de tudo, um homem que se preocupa com as questões que mais afectam o ser humano, entre as quais a Sida.
Para quem ainda não conhece, a RED, organização criada por Bono e Bobby Shriver, tem como objetivo arrecadar recursos para o Fundo Global, que foi lançado em 2006 com o apoio da ONU para lutar contra a propagação da Sida na África, especialmente nas mulheres e nas crianças, além da malária e da tuberculose.
Consciente do impacto que as grandes marcas têm no consumidor médio americano, o cantor, envolveu as grandes corporações na sua campanha, e conseguiu que lançassem os produtos "vermelhos" no mercado. Esta semana, a NIKE, colocou atacadores vermelhos nas suas sapatilhas.

domingo, 29 de novembro de 2009

TEARES DA VIDA: RACISMO? NÃO!

Fica de cabelos em pé, a minha Émy, quando aos seus ouvidos chegam palavras que soam a racismo. Não se contém. Salta-lhe a "tampa", salvo seja. Tudo isto porque ontem (contaram-me no fim do jogo, pois não me apercebi de nada porque estava no “banco” com a equipa onde o meu filho joga), nas bancadas, alguém gritou “ó seu preto” a um dos nossos jogadores que é de raça negra, o Régi, como carinhosamente lhe chamamos. E lá teve, a autora de tais comentários, que suportar as garras afiadas dela. Já tinha acontecido o mesmo na semana anterior, quando no Jogo F.C. Porto – Marítimo, em seniores, uma senhora também se dirigiu de forma “racista” ao Wilson Davyes, que além do mais é nosso amigo. É preciso respeito. E sobretudo no desporto, que acreditamos ser um meio interessante de trabalhar valores e incuti-los nos miúdos: o respeito, a solidariedade, a amizade, o trabalho em equipa, a unidade…
Ressalve-se aqui, que são as únicas circunstâncias que mexem com as entranhas da minha Émy. Pode o árbitro fazer asneiras, a equipa jogar mal, o nosso filho levar “tareia” como muitas vezes acontece, pois ser pivô no andebol implica estar mais sujeito a isso, a boca da Émy não se abre. Mas tudo o que roça a racismo (ou comentários menos apropriados aos jovens jogadores)… Caldo entornado. E eu concordo com ela. Pois as pessoas valem por aquilo que são como pessoas e não pela cor da sua pele. Por isso o texto que aqui vos deixo:


Quando nasci eu era preto.
Quando cresci fiquei preto.
Quando estou doente fico preto.
Quando apanho sol fico preto.
Quando estou com frio fico preto.
Quando tenho medo fico preto.
Quando morrer ficarei preto.


Mas tu, “homem BRANCO”,
Quando nasces és cor-de-rosa,
Quando cresces ficas branco,
Quando apanhas sol ficas vermelho,
Quando sentes frio ficas roxo,
Quando sentes medo ficas verde,
Quando estás doente ficas amarelo,
E ainda tens a lata de me chamar:

"Homem de cor!"

Anónimo

sábado, 28 de novembro de 2009

ONTEM, HOJE... AMANHÃ? ESPERO QUE NÃO!

Na linha do post anterior que nos remetia para um texto de PL, fica aqui o "nosso" Eça num texto de 1871, por indicação da minha Émy (minha alma gémea). Qualquer parecença com a realidade actual será pura ficção?! Pura coincidência?! Ou não!!!


"Estamos perdidos há muito tempo...

O país perdeu a inteligência e a consciência moral.
Os costumes estão dissolvidos, as consciências em debandada.
Os caracteres corrompidos.
A prática da vida tem por una direcção a conveniência.
Não há princípio que não seja desmentido.
Não há instituição que não seja escarnecida.
Ninguém se respeita.
Não há nenhuma solidariedade entre os cidadãos.
Ninguém crê na honestidade dos homens públicos.
Alguns agiotas felizes exploram.
A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia.
O povo está na miséria.
Os serviços públicos são abandonados a uma rotina dormente.
O Estado é considerado na sua acção fiscal como um ladrão e tratado como um inimigo.
A certeza deste rebaixamento invadiu todas as consciências.
Diz-se por toda a parte: "O país está perdido!"
Algum opositor do actual governo?...
NÃO!"

Eça de Queirós in "As Farpas"

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

NA ROTA DOS BLOGUES AMIGOS!

Convido-vos a dar um salto ao espaço do PL e ler uma excelente reflexão, ao sabor de Zeca Afonso: VAMPIROS!

O PROFESSOR, JOGADOR DE PÓKER!



Um bom jogador de póker jamais se queixa; procura jogar as suas cartadas da melhor maneira. A eficácia do professor também assenta num adequado manejar das cartadas que estão ao seu alcance com o intuito de gerir da melhor forma a situação que lhe cabe viver. Algumas das armas são:


ASSERTIVIDADE: Capacidade de fazer-se respeitar e de respeitar os outros, sem cometer nem tolerar abusos;


COMUNICAÇÃO: Capacidade para transmitir e captar mensagens, incluindo a observação e a escuta, assim como a facilidade para causar impacto com as mensagens emitidas;


EMPATIA: Capacidade para conectar emocionalmente com os alunos, ou seja, “cair em graça”;


GESTÃO PROACTIVA E CRIATIVA DOS CONFLITOS: Capacidade para converter os problemas em oportunidades para ensinar e aprender, de gerir variáveis que convertam desvantagens em vantagens;


INFLUÊNCIA: Poder para conseguir mudanças, hábitos e atitudes dos alunos;


NEGOCIAÇÃO: Capacidade de colaborar com os alunos no intuito de chegar a acordos vantajosos para ambas as partes;


AUTOCONTROLO: Capacidade de inibir impulsos que gerem prejuízos posteriores;
AUTO-ESTIMA: Valorização de si mesmo;


AUTO-MOTIVAÇÃO: Capacidade para se auto-propor novas metas e esforçar-se o quanto necessário seja para alcançá-las;


RESILIÊNCIA: Capacidade para superar adversidades, saindo reforçado das mesmas;


OPTIMISMO: A esperança custa tanto como a desesperança. Perante qualquer problema, ao lado lamúrias paralisantes, há sempre uma acção mobilizadora, uma acção, ainda que pequena, que nos possibilita acercar-nos dos nossos objectivos e nos afasta do desânimo: perante os problemas, soluções e não preocupações.



In, Padres y Maestros, Outubro, 2009, PP. 14

SE ERRAS, CORRIGE! SE ACERTAS, MELHORA!


Ninguém tem duvidas que a procura constante da melhoria é geradora do nosso bem estar e do nosso crescimento, tanto a nível pessoal (vida familiar, projectos de vida, amizade…) como a nível profissional.


A Revista “Padres y Maestros” do mês de Outubro e que ontem me chegou à caixa de correio, lança-nos um desafio:


Descobre alguma falha que tenhas cometido recentemente e aponta uma medida correctiva que evite a repetição do mesmo no futuro. Descobre, também, um “acerto” e faz o propósito de consolidá-lo e, na medida do possível, levá-lo à perfeição.


Erro:______________________
Medida correctiva: ____________
“Acerto”: ___________________
Melhoria Possível _____________


Um caminho possível de melhoria do que somos, pois, “não há caminho, o caminho faz-se caminhando.”

terça-feira, 24 de novembro de 2009

A CAMINHO DO NATAL! (I)

Daqui a um mês, neste mesmo dia, estamos na azáfama última para a Ceia de Natal. Ainda falta muito tempo. Mas as ruas, as montras, as lojas... Já começaram a mostrar o encanto do Natal. Ontem, o Nuno Pereira, do 5º ano, fez o seu primeiro "post" texto no seu blogue. Deu-me a notícia há umas horitas. Um texto pequenino mas pleno de significado. Roubei-lhe o texto:


Um sonho de Natal

Era uma vez um menino chamado Manuel.
Numa noite muito fria o Manuel teve um sonho.
Sonhou que o mundo estava muito melhor porque as pessoas eram todas amigas e não havia muros entre vizinhos.
O menino percebeu que era muito melhor viver assim.
Quando ele acordou, exclamou: - Estava a ser tão bom!!!!!!
Quem me dera que o mundo fosse como o meu sonho.

TUDO O QUE EU SEI!

Esta manhã, mais uma vez...
(...)
Eu vou chorar e sorrir e pensar,
que eu nada sei,
do amanhã...
Tudo o que eu sei se resume em saber:
Que o Pai me ama,
Que Ele me chama,
´
P´ra me fazer feliz.

José Fernandes de Oliveira

domingo, 22 de novembro de 2009

TEMPO DE REFLEXÃO!

(...)
- Ando à procura de amigos. O que é que "significa “cativar”?
- É uma coisa que toda a gente se esqueceu - disse a raposa. - Quer dizer que se está ligado a alguém, que se criaram laços com alguém.
- Laços?
- Sim, laços - disse a raposa. - Ora vê: por enquanto, para mim, tu não és senão um rapazinho perfeitamente igual a outros cem mil rapazinhos. E eu não preciso de ti. E tu também não precisas de mim. Por enquanto, para ti, eu não sou senão uma raposa igual a outras cem mil raposas. Mas, se tu me cativares, passamos a precisar um do outro.
(…)
- Vou-te contar o tal segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos... - O essencial é invisível para os olhos - repetiu o principezinho, para nunca mais se esquecer. -Foi o tempo que tu perdeste com a tua rosa que tornou a tua rosa tão importante. - Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa... - repetiu o principezinho, para nunca mais esquecer.

"O Principezinho" de Antoine de Saint-Exupéry.

E já que o momento de reflexão é retirado do "Principezinho", deixo aqui um vídeo que a IC encontrou no YOUTUBE e que partilhou no seu cantinho, como sugestão de prenda de Natal.

MISS EDUCAÇÃO!

Em poste um pouco mais abaixo, ficou aqui registado o "parto" de "Folhas Dispersas" do meu bom amigo Meireles. Li e reli alguns dos poemas do livro para que um deles tivesse a honra de ser o primeiro a saltar para este espaço. A escolha estava a ser difícil mas lá me decidi por MISS EDUCAÇÃO, pela sua actualidade apesar de escrito em 1952. Realço aqui um verso que bem podia ser uma mensagem a levar a todos quantos parecem ser doutos quando neste país se fala, se discute e se legisla sobre educação:

"Não vai a ferro e fogo; nem se concebe
Que a queiram infiltrar sem ser por bem"

Digam lá se não tenho razão. E aqui fica o poema completo:


MISS EDUCAÇÃO

Quem não a vê?... Singela como a flor;
- Tão moderna ela é, e tão antiga! -
Porte sereno e firme, olhar que obriga.
Conhece-a já, senhor educador?...

Tímida, só se prende ou se detém
Pelo amor do que a dá ao que a recebe.
Não vai a ferro e fogo; nem concebe
Que a queiram infiltrar sem ser por bem.


Mercenários?... Ai, Miss Educação:
Permite-me sofrer... chorar contigo,
P'los que te entregam por fugaz quinhão.

Aquele educador que já não peca
Na máxima: "ou cumpres ou castigo"
Prove-mo, e gritarei ao mundo: "Eureka!"


António de Levi Meireles,
in "Folhas Dispersas", pg. 40

sábado, 21 de novembro de 2009

POR UM MUNDO MELHOR... SEMPRE!

Foi em 2005 que Bono (uma voz credivel por todo o seu projecto de vida de luta intensa pelos direitos humanos, pela paz e na luta contra a pobreza) se associou à causa descrita no vídeo que relembro mais abaixo neste poste, mas tem que ser sempre, porque é urgente...

E nunca é demais lutar para que este nosso mundo seja a "casa" de todos e não de apenas alguns. É dicil, mas não é impossivel...


Passo a passo,
de mão em mão,
de sonho em sonho,
de luta em luta...


E como cantava um amigo (ainda que com algumas alterações minhas):

Se não me deixarem falar, eu cantarei...
Se não me deixarem cantar, eu gritarei...
Se não me deixarem gritar, eu gesticularei...
Pois não há nada neste mundo que me impedirá
De proclamar
As verdades em que que acredito.

LANÇAMENTO DE "FOLHAS DISPERSAS"

ENCONTROS E REENCONTROS!

Ontem à noite, a Livraria Bertrand, no Dolce Vita, foi espaço pequeno para o lançamento do livro de poesias "Folhas Dispersas" de António Meireles. Um verdadeiro momento de encontro e reencontro de muitos amigos à volta do homem simples, acolhedor, serviçal, amante da música e da poesia que ele é. E a apresentação do livro esteve a cargo de um elenco de luxo: Dra. Manuela Correia, Dr. Paulo Rangel e a Professora Helena Goulart. Oportunamente falarei do autor e colocarei aqui neste espaço algumas das suas poesias.





quinta-feira, 19 de novembro de 2009

terça-feira, 17 de novembro de 2009

MOMENTO DE REFLEXÃO!


"SORRIAM TODOS OS DIAS PELA MANHÃ
E FAÇAM DESSE SORRISO
UMA MÃO AMIGA!!!"

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

OUTROS TEMPOS!


Já foi na semana passada que, em amena cavaqueira, a mãe de uma aluna me confidenciou que, quando andava na escola primária, a professora lhe dera umas palmadinhas e que não foram do seu agrado. Quando regressou a casa, resolveu fazer queixa à mãe. Depois de ouvir atentamente a filha, disse que nem lhe interessava se a razão estava do lado da professora ou do lado da filha, e deu-lhe mais um par de palmadinhas no rabiosque, acrescentando: - Cá em casa não se faz queixa da professora.


Escusado dizer que ficou furiosa. Uma boa mãe não deveria defender a filha!?...


Não satisfeita com a situação, deu um salto à casa da avó e toca a contar o sucedido, acreditando que ela lhe daria todas as razões e mais algumas. Saiu-lhe o tiro pela culatra: um puxão de orelhas acompanhadas pelas palavras da avó: - Para que não faças queixas da tua mãe.


E lá se ficou por casa da avó, lamentando-se de tantas injustiças, até que uma mulher que fazia por lá alguns trabalhitos, ao vê-la tão tristinha, procurou saber o que se passava. E lá lhe contou o rol das injustiças mas longe de imaginar o desfecho da conversa. Novo puxão de orelhas: – “Para que não faças queixa da tua avó.”

E hoje encontrei a filha e contei-lhe a história que a mãe me tinha contado. – E olhe que é verdade, professor! Respondeu-me ela. E porque havia eu de duvidar? Não haverá muitos que poderão dizer o mesmo ou parecido? Mas noutros tempos, claro!

domingo, 15 de novembro de 2009

E PORQUE HOJE É DOMINGO!

Hoje encontrei uma canção do Padre Aimé Duval, Seigneur, Mon Ami, que escutei num LP, há mais de 25 anos, quando estudava no Colégio Universitário Pio XII, em Lisboa. A canção é um belíssimo poema que vos deixo:

SENHOR MEU AMIGO

Senhor meu amigo
tu me tomaste pela mão.
Irei contigo sem medo algum
até ao fim do caminho

Contigo avanço
no meio do vento e do frio.
Avanço, nada me importa,
levo-te no meu coração
comigo.

Tudo é dança,
tudo é gozo.
Mas eu prossigo
procurando o teu rosto
no meio da gritaria.

Caminharei ligeiro
entoando a minha canção.
Sei que tu me esperas
à beira
da tua bela mansão.

Tu estás lá,
sim, estou certo.
Vejo o teu rosto e a mesa
onde estás
colocando dois talheres.

Podem procurar e ouvir a canção aqui.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

CUIDAR DA "CASA" GRANDE!

Está na moda a palavra ECOLOGIA. Uma virtude dos nossos tempos que foi baptizada com um nome grego. "Eco" que vem de "oikos", que significa casa, e "logia" que vem de "logos", que significa palavra ciência, estudo, ordem, lógica... Assim, Ecologia significa a ciência que se preocupa em colocar em ordem a "Casa" grande. Uma preocupação que deve ser de todos e tudo quanto se faça pela nossa "Casa" grande, nunca é demais. Por isso, hoje, o meu grande aplauso para o trabalho que aqui deixo aos bloguistas, realizado na disciplina de AP/TIC pelos alunos do 6ºD e coordenados pelo Prof. Nuno Couto, do Colégio Internato dos Carvalhos. O Objectivo deste video é sensibilizar as pessoas para a reciclagem e a protecção do Nosso Planeta a nossa "CASA" grande.



Mais trabalhos dos alunos do meu colega Nuno Couto no CanalCICdigital

terça-feira, 10 de novembro de 2009

INQUIETAÇÕES!

Foi bonito ver as imagens daquele dominó-mil-cores tombando, lentamente, iluminado por mil luzes de fogo de artifício e o brilho dos olhos dos jovens e idosos...
Mas quantos muros permanecem ainda por derrubar!
E por quanto tempo ainda?


sábado, 7 de novembro de 2009

TEARES!

Um comentário mais abaixo de Rosa Nogueira: "Não há vento favorável para quem não sabe para onde vai...", fez-me recordar uma pequena quadra de Thiago de Melo:



"Quem sabe o que quer
e onde quer chegar
encontra o caminho certo
e o jeito de caminhar."


Acredito que a Rosa vai encontrar o "Norte" e a partir daí a rota mais favorável para lá chegar. Etapa a etapa; objectivo a objectivo.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

NA ROTA DOS BLOGUES AMIGOS!

A aranhiça (como já lhe chamou um dia o E.I.) da 3za continua a encher-me as medidas. Hoje roubei-lhe um pouco de "poesia" de um dos seus postes desta semana:



"...como gosto deste mosaico
vulgar
e belo
que a vida tece à minha volta.

Vida como a de muita gente.
Porque um professor é gente
e precisa absolutamente de ser feliz."

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

HÁ QUE REMAR!


Quando eu era pequeno, lembro-me que, ao perguntarem ao meu pai como ele estava, ele respondia sempre:
Como Deus quer,
a gente pode
e os outros deixam.
Na altura não percebia muito bem o que ele queria dizer com esta última premissa. Hoje percebo o que ele queria dizer com aquilo e tem razão.

Hoje, como cidadão deste e neste país, daria a mesma resposta e...
os outros...
já sabem o que quero dizer.

Mas estou tranquilo.

Não desanimaremos porque vale a pena sofrer por aquilo em que acreditamos.
E não desistiremos de inventar dias mais claros... (bem ao estilo do "semeador" J.M.A.).
E cito Santos Guerra: "Quando o vento não é favorável, tem de se remar. Quando aumentam as dificuldades de sermos nós próprios e de sermos alguém, quando o vento é contrário e não nos deixa avançar na direcção certa, há que ter a cabeça liberta, o coração bem aberto e recorrer a todas as forças para navegar contra a corrente. Não é fácil, mas é absolutamente necessário." in No Coração da Escola, pg 343.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

GESTOS DE AMOR!


Ao sabor da sabedoria de António de Mello, uma belíssima história de amor:

"Uma menina parecia ter os dias contados por causa de uma doença da qual o seu irmão, de dezoito anos, tinha recuperado alguns anos antes.


O médico que acompanhava a menina disse ao irmão: "Só uma transfusão do teu sangue pode salvar a vida da tua irmã. Estás disposto a dar-lha?"


Os olhos do rapaz reflectiam um verdadeiro temor. A dúvida invadiu o seu ser por instantes mas disse: "Estou disposto... vamos a isso".

Uma hora depois de ter terminado a transfusão, o rapaz perguntou indeciso: "Doutor, por favor, diga-me, quando morrerei?" Só então o médico compreendeu o momentâneo temor que antes havia detectado no rapaz. Pensava que, ao dar do seu sangue, iria também dar a vida pela sua irmã."

domingo, 1 de novembro de 2009

VÍRUS H1N1

Na maioria dos casos, o H1N1, resulta numa gripe ligeira, mas para uma percentagem, ainda que pequena, pode ser fatal. Segundo Constantino Sakellarides, "esta gripe é uma roleta russa".
"Não nos podemos dar ao luxo - seria uma imprevidência indesculpável - de assobiar para o lado e afirmar que o vírus não é muito forte. Quando sabemos pouco, a incerteza é grande. Temos que fazer cenários, incluindo os piores, e esperar que eles não aconteçam." Entrevista que pode ser vista aqui.


E mais informação:

CAMPANAS POR LA GRIPE A from ALISH on Vimeo.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

PAIS E FILHOS

Caro J.P.!
Sei que o teu final de dia hoje não foi fácil. Nada fácil, aliás.
Senti o quanto sofreste porque fizeste sofrer. E caro J.P., não podemos tratar os outros como se objectos fossem; brinquedos nas nossas mãos que deles fazemos o que queremos, como queremos e quando queremos. E muito menos quando essas pessoas são os nossos pais. Sei que o que disseste foi um momento menos feliz. Momentos que acontecem mas que não deveriam acontecer. As palavras depois de serem ditas, tornam-nos escravas delas. E muitas vezes as palavras são bem mais duras que o estalo ou um murro.

E lembrei-me de procurar um texto de um amigo, José Fernandes de Oliveira, mais conhecido por Padre Zézinho, tirado do seu livro "Se eu pudesse falar aos jovens", que eu adaptei ligeiramente e que te deixo aqui para reflectires, ou se quiseres, para reflectirmos juntos. Aqui fica:

"O amor dos pais não tem contabilidade... Ouviste?!...

O homem que é teu pai gastou, aproximadamente, dezoito anos voltado para ti, para o teu crescimento e para o que vai acontecer daqui por diante na tua vida jovem.
Faz um cálculo comigo:

10 horas de trabalhos no emprego, no caminho e em casa;
10 x 30: 300 horas por mês;
300 x 12: 3 600 horas por ano;
3 600 x 18: 64 800 horas de trabalho por ti.
Acrescenta a estas horas umas 12 000 a mais que ele passou preocupado contigo, enquanto crescias e precisavas de atenção.
O teu pai já deu cerca de 80 000 horas do seu tempo.
Em dinheiro então não se fala. Comida, roupa, remédios, alimentação espacial, diversão, mesadas, estudos, roupa, telefone, etc., etc., etc. Custaste muito, se realmente queres saber o quanto o teu pai já gastou contigo.

E a tua mãe então nem se fala. Nem sei se dará para contabilizar. O que ela te deu em matéria de tempo passa tranquilamente das 150 000 horas, pois a mãe costuma ficar quase 18 horas por dia com o filho quando ele é bebé e cerca de 10 horas na primeira infância... Horas que vão diminuindo na proporção do crescimento dos filhos.

Tu custaste muitas renúncias: ao baile, à televisão, ao cinema, aos passeios, a um vestido ou roupa nova; ao carro novo que o teu pai queria, ao sono, ao direito de se amarem, ao descanso e a mil outras coisas mais.

Em troca, os teus pais pedem relativamente pouco: que correspondas escolhendo bem os amigos, as amigas, a namorada, as diversões e coisas semelhantes, que chegues a casa a horas de forma a que não fiquem preocupados, já que passaram muitas horas e muitos anos dedicados única e exclusivamente ao teu crescimento. Que sejas moderado nas coisas que fazes e que dizes, que sejas respeitador e responsável, mas, sobretudo, que progridas nos estudos ou no trabalho. É muito pouco para quem te deu tanto.

Agora, apenas um conselho de amigo: Da próxima vez que disseres que os teus pais não te entendem e que estão ultrapassados; que os pais dos outros é que são bons pais porque deixam que os filhos façam tudo o que querem; que lhes dão tudo o que lhes pedem, não te esqueças desses pequenos pormenores que te apresentei.

Para os teus pais continuarás a custar muito pouco, porque o amor dos pais não tem contabilidade. Só o de filhos egoístas que às vezes, por não conseguirem fazer tudo o que queriam, costumam dizer que não pediram para nascer..."

Não me leves a mal. Foi o que me ocorreu de repente, pois nem sempre os pais têm toda a culpa. O egoísmo também ataca aos dezasseis, aos dezoito..."

Caro J.P., resta-me dizer que admirei o teu pedido de desculpas e o teu arrependimento, mas as coisas não se apagam como borracha que retira do papel palavras escritas. Que este percalço não se repita. O teus pais não merecem isso. Sofrem eles e sofres tu.

Fica bem. Amanhã virá um novo dia e com ele a esperança de novos horizontes.

E para que conheças a pessoa excepcional que escreveu as palavras que acima te deixei, deixo-te um pedacinho de um espectáculo dele:

TEARES!


"As pessoas aprendem quem são
e o que são
através da maneira como são tratados
pelas pessoas importantes na sua vida"
...
"Aprende-se pouco
das pessoas que não são importantes para nós"

Zenita Guenter

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

DIA MUNDIAL DA TERCEIRA IDADE!


Ontem, apenas coloquei aqui a primeira parte dum texto de D. Hélder. Hoje, não resisto a colocar o texto completo, que vem mesmo a propósito do dia que hoje celebramos:

Quando assistires
à retirada dos andaimes contempla
- é claro –o edifício que surge.
Mas pede pelos andaimes,
pois é duro servir de suporte à construção,
ser necessário à obra
e na hora da festa
ser retirado como entulho.

Não é o que acontece todos os dias? Ninguém constrói um prédio sem andaimes. E quanto maior é o edifício, mais andaimes. Vem a festa da cumeeira. Mas quando o prédio está acabado, os andaimes sobram. Ninguém pensa mais neles; são retirados como entulho.
Já várias vezes usei a palavra sobrar. Já pensaram como é triste, como é duro sobrar? É um dos verbos mais difíceis de conjugar, é uma das realidades mais tristes de viver...
Aquela senhora era moça, forte, bonita, cheia de vida. Era o centro da casa. Cuidou dos filhos. Criou meninos e meninas que viraram moças e rapazes, e se foram empregando, e foram casando, e foram partindo. Hoje, a dona da casa já idosa, cansada, doente, está sobrando. Os filhos nem se lembram da trabalheira terrível, dos sacrifícios que ela teve com eles.
Aquele senhor era o chefe da família. Vendia saúde. Forte, disposto, trabalhador, sustentava à casa inteira e ainda acudia a velha mãe e uns parentes pobres da esposa. Teve um derrame. Está meio entrevado. Recebe uma micharia do Instituto. Anda nervoso. Dá trabalho. Ninguém se lembra mais do que ele foi como os andaimes, sem os quais a casa não se faz, o edifício não sobe. Está vivendo a hora de os andaimes serem retirados como entulhos. O edifício não precisa deles.
Deixo aqui dois apelos:
- Quem tiver em casa gente sobrando, gente que foi gente, hoje é sombra do que foi, e só dá trabalho, e despesa e preocupação;
- Quem tiver gente sobrando em casa, faça tudo para ter paciência, ser agradecido, não humilhar... lembre-se de que seu dia chegará. O tempo passa mais rápido do que a gente pensa. Não humilhe e não deixe que humilhem ninguém.
E meu apelo a quem pensar que está sobrando: não deixe esse travo entrar na sua vida. Não se encha de amargura. Esqueça o verbo sobrar.
Um dia lhe provarei como da sua sombra e da sua humilhação, você pode ajudar o mundo inteiro...


Dom Helder Câmara –
do livro "Um olhar sobre a cidade"

terça-feira, 27 de outubro de 2009

TEARES DO DIA A DIA

Hoje, pela manhã, um amigo desabafou, com alguma tristeza, o facto de se terem esquecido dele quando agradeciam o enpenho das pessoas em determinada tarefa. Atesto que é verdade porque não ouvi o seu nome a ser mencionado. Mas isso não acontece de quando em vez nas nossas vidas? O importante é que as pessoas que estão em "campo" saibam que nós estamos lá; que na hora da verdade não falhamos; que na hora da luta não viramos a cara. E lembrei-me de um poema de D. Hélder Câmara:


Quando assistires
à retirada dos andaimes contempla
- é claro –o edifício que surge.
Mas pede pelos andaimes,
pois é duro servir de suporte à construção,
ser necessário à obra

e na hora da festa ser retirado como entulho.

Dom Helder Camara –
do livro "Um olhar sobre a cidade"

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

PARABÉNS JOÃO NUNO!

Dia do Colégio. Dia de festa. Dia de premiar os alunos do Quadro de Excelência.
Não é que esteja muito de acordo com este género de distinções pois um aluno não deveria pertencer ao Quadro de Excelência apenas pelas notas. Indicadores como o empenho, o altruísmo, a solidariedade, o respeito pelos outros, etc... deveriam ser tidos em conta mas, dizem, isso seria muito subjectivo.
Mas que os pais ficam felizes por verem distinguidos o esforço dos seus filhos, lá isso ficam. E eu fiquei, como a mãe e a irmã... Força João! O João recebe a distinção do Subdirector do CIC
Há que registar o acontecimento para a história.

E os meus parabéns aos alunos que com o João foram distinguidos.

Daniel, Joana, João, Sofia, Mikola, Beatriz, Manuel, Inês e Tiago... para mais tarde recordar.

sábado, 24 de outubro de 2009

POR UM AMIGO!

No silêncio desta noite, o meu pensamento está com um amigo de infância que faleceu, faz, hoje, 29 anos, vítima de um acidente de bicicleta. O seu desaparecimento, assim como o do meu pai foi dos momentos mais marcantes da minha vida.
JAMAIS EU TE IREI ESQUECER

Por um amigo!

Eras meu amigo
E Mataram-te…
E com a tua morte
Morreu um pouco de mim
E um pouco de mim ficou sem norte.

Dizias que eu era a tua estrela
Puro engano…
Tu é que me iluminavas
Com o teu abraço, o teu sorriso
O amor que em mim plantaste.

Dizias que eu era o teu anjo
E quem me amparou?
Foste sempre tu, sim
Nas horas difíceis e duras
Quando cuidavas de mim.

Dizias que era eu o teu “mano”,
Mano eterno
Pelo nosso pacto de sangue selado.
Lembraste? Sorriste!
Pacto nem pela morte quebrado.

Ensinaste-me a sorrir para a vida
A sempre acreditar...
Deste-me a vida que era tua
E foste para longe… um novo LAR
E hoje morro de saudades.

Eras meu amigo
E Mataram-te…
E com a tua morte
Morreu um pouco de mim
E um pouco de mim ficou sem norte.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

ENCONTROS E REENCONTROS

A vida é feita de encontros e reencontros.
Já foi na passada semana, no dia 14, no Seminário de Outono "em busca do ethos da escola católica", promovido pela UCP, que tive o prazer de reencontrar antigos professores, alguns deles, hoje, no rol dos amigos que estimo e que muito contribuíram para a minha formação como homem e como professor; assim como o prazer de conhecer pessoas com quem nunca tinha privado mas que há muito faziam parte da minha vida pelo que me ensinaram através do que escrevem (muitos livros que lemos parece que vivemos neles e eles em nós, que neles nos revemos, nos revitalizamos, nos fortalecemos e por isso os visitamos vezes sem conta).

E um desses casos foi a professora e escritora Isabel Baptista com quem tive o prazer de partilhar a mesa de um dos painéis do referido Seminário. E passe a publicidade, um dos livros da professora Isabel Baptista que tenho como livro de cabeceira, é o "Dar rosto ao futuro", do qual tive oportunidade de ler aos presentes pequeníssimos excertos que vinham a "talhe de foice" e que também aqui oportunamente partilharei convosco.

E um dos momentos altos do dia foi a mesa liderada pelo J.M.A, na qual participaram a Patrícia e o Paulo, dois ex-alunos de escolas particulares católicas, que partilharam, ao sabor das perguntas do moderador, as suas experiências de fé e a vivência de valores cristãos que as suas escolas lhes proporcionaram.

Um encontro feliz e agradável que o J.M.A. muito bem sintetizou no seu "terrear".

P.S.: As fotos foram retiradas do "Terrear".

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

NA ROTA DOS BLOGUES AMIGOS!



RECADINHO A SARAMAGO...





Será que o facto de Saramago ser "um" Nobel lhe confere autoridade para ridicularizar crenças e confissões?

O novo livro de Saramago foi motivo de conversa entre colegas e alguns amigos durante estes dois últimos dias. Um deles, o Vítor Pacheco, que assistiu, em Penafiel, à apresentação do novo livro de Saramago, partilhou o quanto incomodado se sentiu com muitas das afirmações que ouviu ao vivo e que nós fomos ouvindo neste e naquele noticiário, neste ou naquele diário. Mas o que mais o incomodou foi a forma como na plateia iam aplaudindo, com fervor, o que o "nosso" "Nobel" ia "vendendo" a "retalho".

E será que tal livro merece que lhe seja dada tanta importância? Não sei. Só sei é que ainda vai correr muita "tinta" e alguma polémica poderá surgir, como o caso de Mário David, deputado do Parlamento Europeu que incentivou José Saramago a abdicar da cidadania portuguesa e confessou ter «vergonha de o ter como compatriota», e vai mais longe quando afirma «José Saramago, há uns anos, fez a ameaça de renunciar à cidadania portuguesa. Na altura, pensei quão ignóbil era esta atitude. Hoje, peço-lhe que a concretize... E depressa!». Afirmações escritas no seu site pessoal. Tal apelo surge depois de declarações recentes de José Saramago, em que o Nobel português classificou a Bíblia como «um manual de maus costumes, um catálogo de crueldade e do pior da natureza humana».

Um dos textos que mais gostei de ler sobre o novo livro de Saramago, foi o do meu bom amigo Arlindo com o título " Saramago... Recadinho" e que podem ler aqui. Gostei. Vale a pena.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

PELA PAZ, TUDO!

Voltei, de mansinho, sem grandes pretenções, e apenas porque sim.

"Se não podeis eliminar a injustiça,
pelo menos contai-a a todos."



Ali Shariati