sábado, 14 de junho de 2008

O AMOR!

NA VOZ DO PADRE ANTÓNIO MARIA

3 comentários:

Maria do Carmo Cruz disse...

Pois é, Raul, quem canta reza duas vezes! Se tu visses como são vividas as Eucaristias em Moçambique, (mais sóbrias em Angola)verias como de facto nós nos sentimos em Festa quando vamos à Igreja ao Domingo. As Missas são longas mas tão bonitas, tão partilhadas!Por exemplo, o Ofertório é em espécie: cada um dá do que tem para alimentar o padre. Eu costumava levar uns sonhos, tinha que me levantar às seis horas para os fazer, mas eles, os padres italianos que lá estavam na paróquia de Marracuene adoravam-nos e o podre Giovanni , antes de levantar o prato com eles, tapados com um guardanapo, passava-os pelas narinas e aspirava o aroma da canela com um soriso. Íamos em procissão, cantando e dançando, até lá à frente, já perto do altar. Recebia bananas, batata doce, abóbora, abacaxi, repolho, cebola, de vez em quando uma galinha, de vez em quando uma camisa, de vez em quando um peixão. Muita fruta da época, muito Amor. E comovia-me sempre quando via aqueles pobres até a darem algumas das suas poucas moedas. Lembrava-me logo do óbulo da viúva.
Na Oração dos Fiéis não se lê: cada um, da assembleia, diz o que quer pedir: as melhoras da Trancinhas, bons exames para os alunos, um emprego, uma oração por um ente querido, tudo coisas que nós sentimos como nossas. Sabes, uma vez disse ao Senhor Bispo de Coimbra que ele deveria mandar reciclar uns certos padres para Moçambique! Ele riu-se. Mas não me dsmentiu...
Já falei muito, ms tu inspiras-me, Raul! Um beijo da Avó Pirueta

BC disse...

Avó!
Como eu gostaria de assistir a uma missa dessas.
Acho que o que nos falta aqui é mesmo a partilha, mas a partilha séria.
Ir só por ir não interessa,mostrar a roupa nova,falar dos vizinhos e dos amigos no fim da missa, desejosos que o padre não fale muito para ir embora para o café.
Essas vivências têm que ser sentidas,vividas.

Mas agora brincando um bocadinho, os sonhos devem ser uma delícia,o senhor padre não engorda no fim de várias missas a comer sonhos.
Adoro, são dos doces que eu mais gosto.
Daqui dos lados do Raul
Beijinhos por mais palavras partilhadas, connosco e também os meus sorrisos.

Fátima André disse...

Ambas têm razão.
Carmo, anda por aí muita gente da hierarquia da Igreja assim um pouco para o daltónico (com o devido respeito por muitos que conheço e outros com quem privo e não são assim).

A Isabel tocou num assunto muito sério. Mas será que podemos mudar essas mentalidades mesquinhas, medíocres, mesmo?