domingo, 29 de junho de 2008

PORQUE HOJE É DOMINGO!

LECTIO DIVINA NO ANO PAULINO

O meu bom amigo Pe. Manuel Rocha fez-me chegar este texto que aqui deixo para todos aqueles que queiram desfrutar da celebração do Ano Paulino que ontem teve início e que vai durar até 29 de Junho de 2009.

1. O Ano Paulino: de 28 de Junho de 2008 a 29 de Junho de 2009
Para todos os cristãos, onde quer que se encontrem, a celebração do Ano Paulino, escolhido por coincidir de modo aproximado com os dois mil anos do seu nascimento, oferecerá a oportunidade para aprofundar o ensinamento deste primeiro grande teólogo da cristandade, cuja fé e pensamento marcaram toda a nossa Tradição.
2. O Apóstolo das nações
As cartas de S. Paulo foram os primeiros documentos do Novo Testamento, escritos muito antes dos Evangelhos. As cartas paulinas oferecem-nos uma visão dos desafios dos primeiros seguidores de Jesus Cristo. O aspecto mais importante que elas nos dão é o testemunho de fé de um homem para quem o encontro com Cristo fez mudar radicalmente a sua vida. Lendo os seus escritos damo-nos conta de que se tratou de um homem com dificuldades e debilidades mas através de quem Cristo, «que transformará o nosso corpo miserável num corpo glorioso», foi tudo para ele. (Flp 3,21)

3. Os beneditinos de S. Paulo e a Lectio Divina
Desde o século VIII da era cristã que a comunidade beneditina de S. Paulo extra muros de Roma serve a basílica que conserva os restos mortais do Apóstolo. Esta comunidade, vivendo segundo a regra de S. Bento, pratica a Lectio Divina como parte integrante da sua espiritualidade. Lectio divina é a reflexão devota da Palavra de Deus na Sagrada Escritura. Esta prática está unida a 4 fases: leitura, meditação, oração e contemplação.

4. A prática da Lectio
O tempo dedicado à Lectio deve começar com uma oração de dedicação, por exemplo: «Senhor, dá-nos o dom do Teu Espírito para que o Teu amor e a Tua vontade se revelem a mim/nós». Depois, o texto da escritura que se escolheu, deve ser lido muito lentamente. A reflexão pode ser feita a seguir, ou então depois de uma segunda ou até terceira leitura do texto. Uma frase pode tocar o leitor e levá-lo à oração; pode também acontecer que uma só frase seja suficiente para todo o tempo que se tem disponível. É possível que a pessoa que está a rezar não tenha necessidade de se expressar verbalmente e prefira ficar em silêncio. As fases da Lectio Divina não são rígidas: uma oração em espiral pode ser um melhor modelo que uma simples sequência cronológica.
A Lectio Divina pode ser feita em privado ou em comunidade. Se um grupo paroquial ou outro grupo deseja praticá-la de forma periódica, como inspiração para a sua vida e trabalho, pode acrescentar-se uma quinta fase: a da acção ou missão, concluindo a reunião com a pergunta: que quer Deus de mim neste momento concreto?

5. A Lectio nas cartas de S. Paulo
Os monges beneditinos de S. Paulo querem oferecer a todos os homens e mulheres de boa vontade e a todos os que reconhecem Cristo como seu Senhor e Salvador, uma estrutura de Lectio Divina para o ano do Apóstolo das Nações. Para tal, dividimos as treze cartas atribuídas a S. Paulo em 365 trechos breves. Estes textos têm dimensões variadas, desde três ou quatro até dez versículos. Será um texto para cada dia do ano com início a 29 de Junho, Solenidade dos Apóstolos S. Pedro e S. Paulo. A ordem é a da tradicional sequência do Novo Testamento: Romanos, 1ª Coríntios, 2ª Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, 1ª Tessalonicenses, 2ª Tessalonicenses, 1ª Timóteo, 2ª Timóteo, Tito e Filémon. A Carta aos Hebreus que antes se atribuía a S. Paulo não foi incluída. Esta decisão foi para não levantar polémicas com perguntas acerca da autenticidade, das fontes, etc., uma vez que tais perguntas, embora importantes, não são directamente relevantes para a lectio divina.
Embora a divisão das cartas em pequenas passagens possa parecer, num primeiro momento, arbitrária, não é bem assim porque a nossa intenção foi a de propor uma passagem prática da Escritura que siga a ordem das Cartas. Os textos não estão relacionados com festividades ou tempos litúrgicos. A pessoa que usar estes textos em cada dia, no final do ano Paulino, terá reflectido e rezado com todas as cartas de S. Paulo.
Quanto tempo dedicar a cada texto? Dependerá de todo o programa do leitor e do tempo de que disponha. Devemos considerar que 10 minutos bem utilizados também têm o seu valor.
Não preparamos quaisquer comentários ainda que algumas partes das cartas de S. Paulo sejam difíceis e qualquer leitor gostaria de encontrar um comentário que lhe oferecesse maiores explicações. Isto, embora seja útil, não é essencial e é até secundário para a lectio divina. Contudo, as Bíblias oferecem alguns comentários que podem ajudar, bem como introduções às cartas que podem e devem ser lidas com a intenção de percebermos o contexto das mesmas.
Embora os Actos dos Apóstolos, atribuídos a S. Lucas, nos falem muito de S. Paulo e da sua missão, não foi incluído neste esquema. As cartas paulinas também revelam o Homem, que «sendo de natureza divina não considerou como uma usurpação ser igual a Deus» (Fil. 2,6) e que transformou a vida de Paulo. A nossa esperança e a nossa oração, no Ano de S. Paulo, é que cada pessoa que se aproxime da palavra de Deus presente nas Cartas, possa conhecer e amar a Cristo crucificado e ressuscitado e com Ele viva plenamente (cf. Ef. 2,5)

Assim, semanalmente, deixaremos aqui a indicação da divisão dos textos para aqueles que queiram fazer o "percurso" da lectio divina neste ano paulino. Semana de 29 de Junho a 5 de Julho: 29: Rom 1, 1-7; 30: Rom 1, 8-1; 01/07: Rom 1, 11-15; 02: Rom 1, 16-17; 03: Rom 1, 18-20ª; 04: Rom 1, 20b-25; 05: Rom 1, 26-27.

ADENDA: Filme em episódios sobre S.Paulo a ver aqui.

1 comentário:

Maria do Carmo Cruz disse...

Como se é missionário? Como Deus aponta, a cada um e a cada momento, um modo, uma acção, um meio diferente. Tu, Raul, estás a missionar só por disponibilizares o teu espaço para anunciar este evento. Que Deus te abençoe. Um abraço da Avó Pirueta