terça-feira, 27 de maio de 2008

DIA MUNDIAL DA CRIANÇA (II)


Na "pena" de Saint-Exupéry:

"Sou da minha infância como de um país."

"As pessoas crescidas têm sempre necessidade de explicações... Nunca compreendem nada sozinhas e é fatigante para as crianças estarem sempre a dar explicações."


"Todas as grandes personagens começaram por serem crianças, mas poucas se recordam disso."

"As crianças devem ser muito indulgentes com as pessoas grandes."

"Só as crianças sabem o que procuram."

"Eu corro o risco de ficar como as pessoas adultas que só se interessam pelos números."

"Só se vê bem com o coração, o importante é invisível aos olhos."



16 comentários:

Teresa disse...

Bom dia Raúl,
O "Princepezinho " de Saint-Exupéry é um dos livros mais lindos e profundos que li.
Tenho-o em quatro línguas!

Infelizmente foi um alemao o culpado da morte do autor.

È sempre um prazer visitar os blogues amigos.

Genieße den Tag!

besbertocharrua disse...

"criança, pensa em alguém muito especial para ti.
Acredita que há sempre alguém que te ama, simplesmente por tu seres como és."
porfessor raul queu spéro ca góste e queu li e gustei munte e na tém erres queu cupiei com munte cuidá
de...
um abrace amigue e tamém da nha maria.

Anabela Magalhães disse...

O quanto eu gosto de Saint-Exupéry! Até já lhe copiei parte dos passos Sahara adentro, o único sítio onde nos encontramos a sós com o mundo. Ambos nus.

RENARD disse...

O livro que leio quando vacilo na minha crença na bondade humana.

BC disse...

O principezinho é um livro do mundo.Acompanha-me sempre desde tenra idade, e é daqueles livros que espero me continuem a acompanhar, levo-o para todo o lado.
Existe sempre algo, dentro dele que nos faz sonhar...

RENARD disse...

Além de ter o significado que sempre teve para mim, foi O Princepezinho que me fez com que eu e a BC nos conhecessemos. Só por isso, é um livro que nunca esquecerei!

Raul Martins disse...

Obrigado Cumpadre Besberto. Uma frase muito bonita.

Quem é que nunca se sentiu tocado por este livro? Nem sei quantas vezes já o li! E os olhos regalados dos alunos quando leio o "cativar" do principezinho e da raposa? Uma doçura.
E renard, quando preparei o poste de hoje pensei no quanto este livro significa para ti.
Carpe diem!

Fernando Vasconcelos disse...

Nem sei que te diga Raul. Esse livro é o meu preferido como aliás digo no meu perfil. Também como tu já perdi a conta às vezes que o li tanto em francês como em Português. Tal como também li vezes sem conta Terre des Hommes ou Vol de Nuit. Há quem pretenda que se trata de literatura menor, de menor profundidade. Há quem lhe prefira o Príncipe de Maquiavel por ser mais "realista" dizem-me. Não me importa. Acho que na verdade nada é mais profundo, mais certo e mais verdadeiramente relevante que o amor dos homens.

Raul Martins disse...

Não sabia, Fernando, que também era um dos teus livros favoritos. Por acaso nunca "espreitei" o teu perfil. Também li o Terre des Hommes e o Vol de Nuit. Este último em Técnicas de Tradução de Francês. Com um professor, Coelho de Moura, que já faleceu. Levava uma avioneta para a aula e algumas passagens eram lidas com ele a passear a avioneta pela sala. Morreu no dia em que a minha filha nasceu.
Literatura menor ou maior, não sei o que é isso. Para mim é literatura o que é escrito e que nos emociona, que nos move, que alimenta a nossa alma. Literatura não são aquelas palavras rebuscadas e de imensa prosa mas que nada nos dizem e muitas vezes não percebemos. Literatura é emoção. É vida. Literatura é quando eu comungo com aquilo que o autor escreve.

Anónimo disse...

Boa noite Raul,

O meu nome é Mafalda e sou a mulher do Fernando (blog Música Clássica).

Fiquei encantada com o nome do seu blog "Por um Mundo Melhor", palpitou-me que só poderia ser um blog positivo e feliz, tal como eu gosto. Parabéns.

Ao ler o seu post de hoje e porque sou voluntária, lembrei-me dos meus Meninos do IPO mas também dos Adultos que acompanho nos Cuidados Paliativos.

E garanto que quando abrimos o nosso coração conseguimos ver muito além do que os nossos olhos testemunham. A partilha é enorme damos algo de nós mas ganhamos muito mais.

besbertocharrua disse...

sr. raul a nha maria agardéce a infromação e a côre é surperesa !
murteira qué uma aldêia qué cuase do tamanho da vila e qué pessoas munte mas mêmo munte ancolhedôras e ca tarbálham com munte afinco pa consteruir um lár pá terceira idáde. tá cuase acabádo e cuase todo co dinheire das féstas e do pão co choriço ós domingues.
um abrace munte amigue dagente.

Raul Martins disse...

Olá Mafalda!
Fico feliz por ter passado por aqui e mais feliz pela simpatia que depositou nas palavras que marcam a sua visita.
Eu já sabia que era voluntária no IPO. Foi o Fernando que tal me confidenciou aqui:

http://rucamartins-porummundomelhor.blogspot.com/2008/03/sonhar-alto.html

Foi a primeira vez que ele cá veio. E hoje tenho a sua visita. São coincidências bonitas.
E se o meu blogue tem um título bonito e procura sonhar por um mundo melhor, mais bonito é o seu trabalho que contribui de uma forma decisiva e concreta por esse sonho.
Deixo-lhe um desafio:
Escreva um texto testemunho sobre o seu trabalho de voluntariado para que eu coloque aqui no meu blogue.Pode ser?
E gostei de "quando abrimos o nosso coração conseguimos ver muito além do que os nossos olhos testemunham." Vou colocá-la na "rúbrica" das sexta-feiras, "Ditos e escritos".
Carpe diem!

Existente Instante disse...

Só para dizer que hei-de responder à tua "Princesazinha", quando o tempo aprouver e a criatividade quiser!
Sabes que existe uma duas versões interessantes do Pricepezinho, uma em animação e outra num filme de Stanley Donen, com Bob Fosse e Gene Wilder?
O meu foi comprado mas Paulinas.
Abraço!

Existente Instante disse...

Enfin! Duas versões, porque "uma duas" era giro mas só ao contrário " dois em um" . Sono e cansaço.

EMD disse...

Boa ideia esta da campanha prévia à efeméride.
Excelentes os textos já postados.
Peter-Pan, Principezinho, crianças, sonhos, sorrisos.
Embondeiros, afectos e cativar.
Quantas crianças a precisar de um pequeno grão de atenção no deserto de felicidade em que vivem.
Um abraço

Fátima André disse...

Que curiosidade tão gira. Hoje acordei a pensar em algumas pessoas especiais. A uma delas enviei um powerpoint do Principezinho. É uma história que que faz sonhar e acreditar nas pessoas que se cruzam no meu caminho.
Acredito muito forte no dom da amizade e não a vejo como fruto do acaso ou de coincidências. As pessoas com quem cruzamos no comboio da vida podem ser-nos indiferentes ou podemos decidir construir laços maravilhosos. É tão bom sermos livres, até para decidir a intensidade com que amamos.
Obrigada por este pedacinho.
:)